6i60pdla5c4a7ei5ojad1ay6whlp8a
Buscar
  • A Herbalista

Alho - A Planta das Artérias!

Atualizado: 9 de Out de 2019

O alho tem a reputação de ser um poderoso vasodilatador, ajuda a baixar a pressão arterial e também ajuda a diluir o sangue, reduzindo o risco de formação de coágulos. Além disso, a Espanha e a Itália, grandes consumidores de alho, são fracamente afetados pela aterosclerose, uma doença que resulta no endurecimento das artérias.


Embora o alho tenha suas origens na Ásia Central e tenha sido cultivado no Egito desde a antiguidade, ele rapidamente conquistou todos os continentes, primeiro por suas propriedades medicinais, depois por suas propriedades culinárias. Seu uso é mencionado em textos chineses antigos; na medicina grega, antes da era cristã, onde era usado como vermífugo e contra asma; na medicina árabe, onde é recomendado contra infecções do estômago e da pele. Hoje, no Ocidente, o alho também é usado como vermífugo, para reduzir a pressão arterial e, localmente, para combater infecções da pele .


O alho foi introduzido no Ocidente durante a conquista romana. Este alimento e condimento, tem sido apreciado por suas propriedades medicinais há milhares de anos. Os ingredientes ativos do alho estão contidos no bulbo.

Louis Pasteur quem descobriu as propriedades antibacterianas do alho no século XIX. Foi usado até mesmo durante a Segunda Guerra Mundial para curar algumas feridas dos soldados em combate.


Reconhecido desde a antiguidade por seus muitos efeitos benéficos, o alho pode lutar contra muitas dores: dores, distúrbios da pele, problemas digestivos e respiratórios, colesterol ou perturbações da coagulação e distúrbios vasculares, como pressão alta .

Estudos recentes mostraram que o alho também pode afetar o metabolismo do colesterol no fígado, este último liberando menos colesterol no sangue. O trabalho está sendo feito para verificar esses resultados. O alho também tem propriedades antioxidantes que permitem neutralizar os radicais livres, suas propriedades anti-bacterianas fazem com que seja um bom desinfectante intestinal e um vermífugo eficaz.



USO INTERNO


Melhora a circulação, metabolismo lipídico, coagulação: anti-hipertensivo, anticolesterolêmico, anticoagulante.

Distúrbios gastrointestinais: cólicas, flatulência e diarréia, infecções por parasitas.

Problemas respiratórios: ação antibiótica em caso de bronquite ou infecções sazonais.

Efeito antioxidante: contra o envelhecimento celular.



USO EXTERNO


Anti- dor: dores articulares , musculares e nevrálgicas.

Ação contra certas condições da pele: infecções, verrugas , calos.



INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS USUAIS


Hipertensão, doenças digestivas (indigestão, inchaço, flatulência), doenças inflamatórias do aparelho respiratório, parasitas intestinais , dores articulares, musculares ou nervosas, infecções da pele e outras condições de pele, tais como verrugas e calos.



OUTRAS INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS DEMONSTRADAS


Prevenção de doenças cardiovasculares, devido aos seus efeitos redutores lipídicos (que promovem a redução do nível de lipídios no sangue), anticoagulantes (antiagregante plaquetário) e hipotensores. Melhora a circulação por dilatação nos vasos pequenos, tem propriedades antioxidantes que protegem as células contra o envelhecimento e teria, portanto, uma ação contra certas doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer.

Os componentes de enxofre da alliina atuam na prevenção do câncer.

Finalmente, é um agente protetor das complicações relacionadas ao diabetes, graças às suas propriedades hipoglicêmicas.


Seus compostos melhoram a saúde cardiovascular e previnem as doenças coronárias e circulatórias por diferentes mecanismos: reduzem a taxa de colesterol, tornam o sangue mais fluido, previnem a arterioesclerose e estimulam a dilatação das coronárias.


Também inibem o processo de inflamação, associado aos infartos. Inclusive, alguns especialistas consideram o alho uma "aspirina vegetal", já que reduz a capacidade de coagulação do sangue em 20 a 30 por cento.


Um consumo moderado de alho ajuda a reduzir a pressão sanguínea, contribuindo para tratar a hipertensão arterial, mas as virtudes deste bulbo não páram por aí.


Além disso, ajuda a combater infecções bacterianas, viróticas e fúngicas, como gripe, resfriados, gastroenterite, aftas, bronquite e herpes simples. Seu efeito germicida atua nos sistemas digestivo, pulmonar e contra as afecções da pele. Também contribui para fortalecer as defesas orgânicas.


Estudos da China mostram que quem come mais alho tem menos da metade do risco de sofrer de câncer do estômago. Além disso, o alho ocupa um dos primeiros lugares na lista do Instituto Nacional do Câncer, dos Estados Unidos, como possível alimento protetor contra o câncer, principalmente gástrico.


Ao reduzir os níveis de açúcar ou glicose, na corrente sangüínea, o alho melhora a dieta das pessoas diabéticas.

Como e quanto ingerir para aumentar beneficíos


O alho é melhor digerido se consumido picado ou espremido; convém, sobretudo, eliminar o germe verde localizado em seu centro, que é a parte mais indigesta.

Mas convém evitar o consumo excessivo e prolongado, já que, em algumas pessoas com predisposição, pode ocasionar transtornos gástricos ou diminuir a pressão arterial.


Um ou dois dentes, que equivalem à cerca de nove gramas de alho, ao dia bastam para melhorar a saúde, enquanto que uma maior quantidade não melhora seus efeitos e pode irritar o tubo digestivo.


É preferível comê-lo cru, porque cozido perde seus óleos. O alho libera seu óleo quando triturado ou picado. Ricos em compostos sulfurosos saudáveis mas muito voláteis. Para "capturá-los" é preciso comê-lo o mais rápido possível.


Os benefícios do alho vão muito além do seu teor de nutrientes propriamente ditos, ainda assim 1 dente de alho fornece 3% das doses diárias recomendadas de cálcio, vitamina C, manganês e vitamina B6.

O essencial é invisível aos olhos de uma tabela nutricional. O cheiro do alho deve-se sobretudo à presença de compostos organosulfurados, nomeadamente a alicina que é responsável pelos benefícios que lhe são atribuídos.

Os estudos recomendam doses entre 2 e 4g por dia, cada dente de alho tem cerca de 1g.



Contraindicações


O alho não é aconselhável para bebês, grávidas ou amamentando.

Em crianças pequenas, o uso do alho é indicado como vermífugo, bactericida, antibiótico.

Em demasia poderá causar reações gástricas por irritar a mucosa, assim como reduzir a capacidade de coagulação do sangue e também reduzir a pressão arterial.

Quem utiliza remédios para doenças autoimunes, como HIV, saiba que a eficácia destes fica comprometida em 50%, devido ao uso de alho.



Saúde a Todos!

A Herbalista - Terapia do Estilo de Vida -

naturopatia.aherbalista@gmail.com

23 visualizações
  • telegram icone
  • whatsapp_aherbalista
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • YouTube
  • messenger icone
  • Instagram

 - International Knowledge of Food, Herbs & Health -

© 2020  A Herbalista