6i60pdla5c4a7ei5ojad1ay6whlp8a Iridologia | A Herbalista

Os olhos não são apenas um espelho da alma, mas também um espelho de todo o corpo.
A iridologia é a reflexologia ocular.

O que é Iridologia?

A íris revela os segredos do corpo, podendo reconhecer algumas doença antes do início dos sintomas.  
Iridologia é a maneira pela qual o estado físico e psicológico de uma pessoa é identificado de acordo com o estado atual da íris, pois cada órgão está associado a uma parte específica na íris, onde ocorre uma mudança quando o órgão correspondente está afetado, mesmo que as células ainda não estejam danificadas, o que acarreta em não ser identificada nenhuma doença em exames da medicina moderna. Hoje, a íris é usada como meio preventivo.


A íris é uma área muito sensível que está conectada ao corpo como um todo, então quando ocorrem mudanças dentro do corpo, isso se reflete na íris como lesões teciduais, pigmentos depositados, alterações na própria pupila e esclera, a área branca dos olhos, observa-se também as cores primárias,  explora-se tendências herdadas do paciente, pontos fortes e fracos no estado de saúde como um todo. 

 

"A medicina preventiva é um aviso prévio, antes do total ataque ao órgão, vai de mãos dadas com melhor chances de cura. Isso traz inegáveis benefícios para a humanidade."

Ao examinar a íris, o iridologista tem diante de si uma estrutura única, assim como na refloxologia podal, na auriculoterapia, pois cada pessoa tem uma íris peculiar, tão individual quanto às impressões digitais."

História da Iridologia?
 

Desde muito tempo que os olhos são objeto de fascínio para o homem, posto que são misteriosos e encerram em si muitas informações. No antigo Egito, Tutancamon, o rei menino egípcio – estudava os olhos há 1.400 antes de Cristo.
Os antigos sacerdotes egípcios compilaram uma lista de "doenças pela íris", que ocupavam dois grandes rolos de papiro com cerca de cem metros de comprimento.

Tratados descrevendo o diagnóstico do famoso sacerdote egípcio antigo Al Aqsa foram encontrados durante as escavações de uma tumba em Gizé e agora são mantidos na biblioteca do Vaticano. Desde então, milhares de sinais da estrutura da íris foram descritos. 

Há relatos arquivados também, que entre os caldeus, há mil anos a.C., já registravam escritos sobre a íris.


Para os gregos, Íris era tida, também, como a deusa mensageira. Afirmavam eles, que a íris dos olhos assinalavam as metamorfoses da vida acontecidas com o decorrer dos anos. Hipócrates, o médico grego em 460 a.C. já examinava os seus pacientes nos olhos para encontrar pistas sobre a saúde da pessoa, principalmente através da análise da cor. 

 

Alterações nos olhos já eram relacionadas a problemas de saúde tanto no antigo Tibete quanto na Índia e China e Japão. Para a medicina oriental, existe uma íntima relação entre sinais nos olhos e as alterações funcionais nos órgãos.
 

Uma grande relação da dinâmica entre o corpo e a alma através dos olhos, aparece pela primeira vez na história ocidental nos escritos da santa Hildegard von Bingen, uma Naturopata alemã e criadora de várias fórmulas.

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"As observações das alterações no olho e das estruturas associadas existe desde que os homens se olham uns para os outros." ( Hildegard von Bingen, séc. XII.)

 

Outro importante acontecimento histórico, ocorrido no ano de 1670 na cidade de Dresden, na Alemanha, está registrado no livro “Chiromantia Médica e Fisionomia Médica”, de autoria de Phillipus Meyens, onde, em referência, à ciência de diagnóstico através dos olhos, escreveu o seguinte:

“A parte superior da íris representando a cabeça.  O lado direito dos olhos, mostra o estado de todos os órgãos dentro do corpo que se localizam do lado direito do corpo, tais como: fígado, o lado direito do tórax e os vasos sanguíneos. O lado esquerdo dos olhos, pode mostrar todos os órgãos que ficam do lado esquerdo, portanto: o coração, o tórax esquerdo, baço e os pequenos vasos sanguíneos.  As condições de saúde se encontram aqui, especialmente as debilidades do coração a parte mais inferior dos olhos representa a genitália assim como os rins e intestinos…”

Os estudos de Meyens foram aprofundados, em 1695, pelo iridologista alemão Sigmund Eltzholtz.

 

“Considere o olho uma arte que foi criada com o qual o corpo imprimiu sua anatomia exata sobre ele.” (Paracelsus, século XVI)

Outro importante acontecimento histórico, ocorrido no ano de 1724, aparece no livro do Imperador chinês Chen Lung, que referindo-se à Iridologia, escreveu o seguinte:
 Secciona-se o olho em 5 zonas concêntricas:

 

– A primeira é a pálpebra ou roda de carne. É a projeção do baço e das carnes;

– A segunda é o branco do olho ou roda de sangue. É a projeção do coração ou do sangue;

– A terceira é o branco da íris ou da roda vida. É a projeção do pulmão e coração e do sangue;

– A quarta é a íris ou roda de vento. É a projeção do fígado e dos músculos;

– A quinta é a pupila ou roda da água. É a projeção das articulações e dos ossos.


Importante salientar também o trabalho de Cristian Haertls, de 1786, com o título: “De óculo et signo”. 

E, através dos séculos, fazem parte muitos nomes e trabalhos importantes que temos disponíveis para apreciar e estudar, englobando todo o conhecimento para observarmos o ser humano como um todo, que é o campo da Medicina Naturopática, onde tratamos a pessoa, e não as doenças.

Este é um exemplo de um gráfico de iridologia, como se olhassemos num espelho. Mudanças na cor ou na aparência da íris são indicadas como mudanças na saúde da seção correspondente do corpo.

Iridologia nos tempos Modernos

 

O menino húngaro Ignaz von Peczely (1826 -  1911), ainda em seus 10 anos de idade, fraturou, acidentalmente, uma das patas de sua coruja de estimação e verificou o aparecimento de uma mancha negra na íris da ave no ponto correspondente ao número 6 de um relógio, onde a íris subdividida como se fosse um relógio, marcou a íris da ave ali. Péczely, tratou a fatura da coruja e notou que a mancha mudava de característica à medida que a fratura se consolidava, marcando indelevelmente a vida deste menino e futuro médico.
Quando adulto, se formou médico e homeopata, e nunca tendo esquecido o ocorrido com a coruja, observava a íris dos seus pacientes e hoje é considerado o pai da iridologia moderna, entendendo que existe uma relação entre o desenvolvimento dos tecidos do corpo e o que vemos na íris. 

Ele começou a aplicar seu método aos pacientes que vieram até ele, examinando seus olhos, e em 1860 ele desenhou o primeiro mapa de análise da íris

 

A Iridologia continuou a ser desenvolvida na Alemanha, na Hungria, Romênia, Espanha, Rússia, Estados Unidos,  valorizando a herança genética de saúde ou enfermidade, reações psíquica, mental e física do indivíduo. E se desenvolveu em uma base com estatísticas como têm sido observadas ao longo do tempo em vários hospitais e universidades.

No Brasil a Iridologia passou a ser utilizada a partir de 1964 por profissionais que foram formados na Alemanha e Estados Unidos, dando início as pesquisas e aperfeiçoamento da irisdiagnose. Atualmente a Iridologia está presente nos principais centros de pesquisas do corpo humano e mundialmente reconhecida como método de apoio de saúde. 

"Iridologistas não diagnosticam doenças específicas, mas sim "destacam" os sistemas e órgãos do corpo que são saudáveis ​​e os que são descritos como "hiperativos" ou "inflamados", que estes apontam para uma tendência no paciente em relação à problemas médicos passados, genéticos ​​ou para prever problemas de saúde que possam estar se desenvolvendo. Sua finalidade é chamar a atenção para o que precisa ser investigado, o que procurar e como evitar as doenças pelas quais somos propensos, devido a genética ou adquirido pelo estilo de vida. É usado para informar sobre a condição geral das funções do corpo. O diagnóstico de íris nada mais é que reflexologia óptica.

As pessoas modernas têm alta pressão de trabalho, facilidade para comer alimentos processados e têm muita poluição ambiental, esta é a causa de muitas doenças. Além de fatores hereditários, substâncias tóxicas, doenças de órgãos internos e situações de muito estresse deixam sinais e manchas diferentes na íris.
Baseado em um mapa de órgão preciso, é possível verificar o funcionamento de todo o organismo e seu nível de energia.  Na verdade, a prevenção pode ser iniciada antes que a doença ocorra, porque o corpo já alerta. A fotografia da íris permite que você conheça seu corpo e lhe permite a  prevenção precoce. 

"A doença é um processo de desenvolvimento progressivo de quantitativo para qualitativo, da sub-saúde para a doença. Quando o corpo se sente desconfortável, geralmente é o resultado de um período de acumulação. Se você esperar que a lesão celular seja detectada e o índice bioquímico se torne totalmente anormal, assim. você só poderá tratar da doença já instalada! O teste da íris pode identificar precocemente defeitos de saúde congênitos e compreender o estado atual do corpo, ajudando você a escolher um método de condicionamento de saúde personalizado."

 

 

Métodos de condicionamento da saúde após a detecção da íris:


- Ativamente ajustar o estilo de vida: dieta leve, mais frutas e legumes, menos carne, comer mais certos alimentos,  aumentar ingestão de fibra, mastigar mais, beber muita água ... etc. 
- Regularmente ativar o tipo de mente: vida regular, sono adequado, exercício físico, atenção consciente as emoções, relaxamento e métodos de descompressão ... etc.
-  Regularmente ativar tipos fisiológicos: escolher produtos naturais de saúde, evite substâncias tóxicas, destoxificar regularmente o corpo para regular a aptidão física, ingerir vitaminas… etc. 

 

A grande vantagem da iridologia é que o paciente tem a oportunidade de conhecer os pontos fracos do seu organismo e, assim, prevenir doenças e evitar possíveis desenvolvimentos de doenças em um estágio inicial. O diagnóstico da íris permite que o terapeuta do tratamento projete um conceito de terapia que seja adaptado individualmente às fraquezas e forças do paciente, levando em conta a capacidade de reagir e a disposição para curar. 

A  íris não diz qual o dano que o corpo está causando. Por exemplo, o distúrbio degenerativo observado na área do pâncreas não revela se é diabetes ou pancreatite, mas pode orientar o paciente para um estudo direcionado.

Isto mostra que o Iridologia, como a maioria dos métodos de testes alternativos, por si só não pode fornecer todas as respostas , mas é um método complementar capaz de chamar a atenção para quaisquer diferenças físicas que nem podem ser identificadas em laboratório, raios-x ou outros testes convencionais ainda, já que tais exames não podem descobrir ainda porque estes só acusam quando já houve a lesão do órgão. 
Importante saber!

 

A Íris Diagnose é um exame de saúde útil, mas é apenas um procedimento complementar. Não é bom julgar a saúde apenas por um único método, porque cada estudo tem suas limitações. É por isso que fazemos uma fotografia de íris como parte de uma complexa verificação de saúde. 

Iridologia para animais de estimação

 

Desde os anos 80, o interesse em usar essa técnica de análise para animais aumentou significativamente em todo o mundo. É assim temos a Pet Iridology, uma nova tendência que fornece orientações informativas sobre a manutenção da saúde, estudando e analisando a íris dos nossos animais.

Especialistas em Iridologia, em colaboração com veterinários, coletaram um extenso banco de dados de íris canina e felina e vários sintomas veterinários diagnosticados relacionados. Isso levou ao desenvolvimento de uma nova tabela de iridologia para cães e gatos, juntamente com um novo software para pet-iridologia.

 

Tabela Iridológica para animais:

Uma consulta iridológica é um momento único porque você é único.

Acompanhe matérias exclusivas:

  • telegram icone
  • whatsapp_aherbalista
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • YouTube
  • messenger icone
  • Instagram

 - International Knowledge of Food, Herbs & Health -

CNPJ: 35.221.166/0001-12  -  BRASIL