6i60pdla5c4a7ei5ojad1ay6whlp8a Cromoterapia | A Herbalista

A cromoterapia usa a energia das cores para influenciar nossas emoções.
As cores exercem uma influência física, psíquica e emocional da qual geralmente não temos consciência. Podem, portanto, desempenhar um papel importante no tratamento de qualquer disfunção, seja física, mental ou moral.

A cromoterapia é uma  medicina não convencional, desenvolvido na França por Dr. Agrapart.

Utiliza luzes coloridas projetadas em todo o corpo ( cromoterapia global ) ou em áreas específicas
( cromoterapia local ). Ela também usa meridianos de acupuntura com base nas energias da cor.

Consiste em projetar luz colorida nas diferentes partes do corpo para manter o bom funcionamento do corpo e fornecer a luz adicional necessária para o seu equilíbrio. Com base na dimensão vibratória da radiação luminosa, pode ser considerada uma terapia energética, baseada tanto no conhecimento antigo quanto nas descobertas da física quântica.

"Cada cor tem um efeito em nossas células, graças a uma percepção visual, mas também a uma percepção cutânea. Uma cor é uma onda de luz de um determinado comprimento. Cada cor tem um comprimento de onda diferente que a pele é capaz de perceber, enviando mensagens para o coração de nossas células e modificando-as quimicamente."

Historia das cores na saúde

A cromoterapia é uma das modalidades terapêuticas mais antigas usadas para tratar todos os tipos de problemas de saúde. De fato,  é uma técnica de cuidado ancestral! 

Os benefícios proporcionados pela luz solar no tratamento de doenças, a helioterapia, são explorados há mais de 4.000 anos.

Encontramos vestígios do tratamento com luz dos antigos egípcios que tratavam uma patologia da pele,  provavelmente vitiligo, esfregando o local com uma erva salsa e expondo se a luz do sol. 
As propriedades sensibilizantes dessa erva combinadas com os raios solares deviam criar uma espécie de queimadura intensa ,o que pode ou não reabsorver após a fase inflamatória primária, resultado em hiperpigmentação para repigmentar a pele despigmentada, característica de vitiligo.

Os antigos gregos e Romanos também usavam os poderes curativos do Sol. Hipócrates aconselhou a exposição à luz do sol em pacientes deprimidos e acreditava firmemente que as pessoas no sul eram mais felizes porque elas naturalmente se beneficiam de uma melhor exposição ao sol devido ao clima.

Avicenna ( Ibn Sīnā ), filósofo e médico iraniano do primeiro século, observou que uma pessoa que estava sangrando não deveria olhar para objetos de um vermelho brilhante, porque essa visão estimulava o sangue. Ela deve ser exposta ao azul para reduzir o sangramento. 

Até pouco tempo atrás, na Europa, pacientes com catapora, rubéola ou melancolia era tratado com luz vermelha colocando-os em uma sala com grandes janelas coloridas e paredes cobertas de cortinas dessa mesma cor. Um desses pacientes era famoso por ser George III, rei da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte.

 

Certas patologias pela Luz ressurgiu no final do século XIX por Niels Finsen Ryberg, médico dinamarquês e grande cientista que ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1903, por usar a luz branca no tratamento de patologias cerebrais, incluindo o tratamento de lúpus, usando os pontos de luzes artificiais. 

Muitos pesquisadores publicaram trabalhos e realizaram estudos sobre o efeito das cores na saúde no final do século XIX. Em 1878, nos EUA, Edwin D. Babbitt liderou o primeiro trabalho sobre o princípio da luz e das cores, combinando seus efeitos terapêuticos.

Mais tarde, na Índia, em 1920, o Dr. P. Dinshah Ghadiali propõe em seu livro  A Enciclopédia Chrometry Spectro, o processamento pela cor de mais de 300 doenças.

 

Nos anos 50 a luz azul já estava começando a ser usada para tratar icterícia em bebês, devido ao fluxo de bilirrubina na corrente sanguínea. Essa técnica, chamada foto-medicina, é usada até hoje.

 

Os antigos gregos e Romanos também usavam os poderes curativos do Sol. 
Hipócrates aconselhou a exposição à luz do sol em pacientes deprimidos e acreditava firmemente que as pessoas no sul eram mais felizes porque elas naturalmente se beneficiam de uma melhor exposição ao sol devido ao clima.

Em 1967 Endre Mester, médico Húngaro, conduziu uma série de experimentos sobre o potencial cancerígeno dos lasers. Projetando então a luz de um laser de rubi de baixa potência nas costas de um rato, onde ele esperava poder demonstrar sua periculosidade, mas para sua grande surpresa, o laser não causou câncer no rato, pelo contrário, favoreceu o crescimento de pêlos na parte de trás do animal que havia sido barbeado a fim de realizar a experiência.

 

 

O impulso inicial para o uso em larga escala de LED na área terapêutica foi acionado pela NASA quando observou que luzes específicas de comprimentos de onda permite um crescimento mais rápido de certas plantas e reduz bastante o tempo de cicatrização de feridas sofrida pelos astronautas.

Então explorou as propriedades terapêuticas do leds em voos espaciais por causa do baixo grau de cicatrização de feridas encontradas pelos astronautas no espaço em condições atmosféricas, onde as cicatrização de feridas são muito lentas. O mesmo tipo de problema de cicatrização que os Fuzileiros Navais encontra no submarino sobre alta pressão atmosférica.

"A cromoterapia incentiva o equilíbrio o corpo através das cores. Por sua vez, pode curar a insônia ou, pelo contrário, restaurar a energia, diminuir a tensão, reduzir a ansiedade ou fortalecer o sistema imunológico. Tudo depende das necessidades e falhas do corpo."

Atualmente, a cromoterapia não é reconhecida cientificamente. É baseado na subjetividade e não pode ser reconhecido pelas autoridades de saúde. Usado por séculos pelos chineses para estabelecer diagnósticos ou pelos egípcios para tratar os doentes, atrai muitos ocidentais para os quais a medicina alopática não foi a solução ou como algo além dos tratamentos convencionais com medicamentos.

A cromoterapia é praticada em centros privados, onde podem ser oferecidos sessões. Também é encontrado em alguns centros de talassoterapia que combinam hidroterapia e cromoterapia.

Alguns fisioterapeutas e / ou acupunturistas também oferecem esse tipo de serviço.

De qualquer forma, é aconselhável consultar com antecedência sobre o real conhecimento do terapeuta que lhe aplicará a cromoterapia.

As cores atuando

A cromoterapia trabalha em doze cores que correspondem a partes do nosso corpo.

Como as agulhas em uma sessão de acupuntura, os raios coloridos são direcionados para os pontos ativos. O objetivo é estimular o ponto de energia para recuperá-lo com a energia de cada cor.

Fisicamente, as cores curam um órgão diretamente quando são colocadas no ponto afetado.
Mentalmente, as cores aprimoram as emoções e promovem um ambiente positivo e agradável para quem sofre de depressão, fadiga ou estresse. 

De uma maneira geral, as cores contribuem direta e positivamente para o estado geral de um indivíduo.
As cores são uma fonte de energia que também pode atuar como uma medida preventiva.

Aqui está um resumo das propriedades associadas às cores de cromoterapia mais usadas:

 

 

# Violeta para purificar

É recomendado pelo seu poder terapêutico purificar o sangue, eliminar toxinas, desobstruir o fígado, estimular o bom funcionamento do baço e fortalecer o sistema imunológico. Do ponto de vista emocional, o roxo também é usado para acalmar estados de raiva, como se quisesse despertar inspiração.

 

# Indigo para acalmar


O índigo é a cor ideal para dores de cabeça, amigdalite, dor de dente ou reumatismo. É também uma cor que desenvolve habilidades intuitivas.

 

 

# Azul para acalmar


Azul é a cor da tranquilidade. É obviamente usado para acalmar casos de crise, distúrbios psicológicos com ansiedade séria, momentos de cãibras, doenças inflamatórias.

O azul é uma cor particularmente indicada para pessoas que sofrem de pressão alta.

 

 

# Turquesa para regenerar


Como o azul, a cor turquesa tem qualidades calmantes. Essa cor também tem a capacidade especial de regenerar a derme.

 

 

# O verde para estimular


Verde é a cor da renovação. Essa cor é usada em casos de fadiga ou estresse severos.

O verde também é recomendado para a tomada de decisões e para pessoas emocionalmente perturbadas. Finalmente, o verde é uma cor eficaz para combater a insônia e estimular o apetite sexual.

 

 

# O amarelo limão para positivo


O limão é uma cor estimulante. Atua de maneira benéfica na concentração, em casos de desintoxicação e tem um efeito revitalizante na estrutura óssea do corpo humano.

 

 

# Amarelo para motivar


Essa é a cor por excelência para a estimulação cerebral. Amarelo fornece energia, motivação e imaginação. Amarelo promove o bom funcionamento e manutenção do sistema digestivo. Essa cor também tem um efeito positivo no sistema nervoso.

 

 

# Laranja para eliminar


A cor laranja é eficaz nos problemas da tireóide, mas também para eliminar o excesso de gordura. Seu caráter antiespasmódico atua contra dores musculares, artríticas e lombares.

Essa cor também é percebida como um estimulante cardíaco. É recomendado em casos de asma e alergia dilatar as vias aéreas.

 

 

# O vermelho para energizar


Vermelho representa energia, mas também é a cor da agressão. Deve ser usado com cuidado para reforçar a energia, em vez de favorecer estados irados.

Na cromoterapia, o uso do vermelho é indicado na estimulação do sistema sanguíneo e pode ser eficaz no combate à anemia. Também é concedido virtudes afrodisíacas.

"A cromoterapia é um método de harmonização, ajudando na cura de doenças, por cores.
É um tratamento natural baseado em dois princípios: a velocidade das vibrações da luz é diferente para cada cor, cada vibração têm um efeito diferente no corpo.
Tons quentes, tons frios, tons suaves com nuances energizantes podem agir sobre nossas emoções e nossa mente."

A cromoterapia usa algumas noções de acupuntura para transmitir seus efeitos benéficos. 

Os cromoterapeutas acreditam que o corpo é capaz de ler as cores.

Eles percebem na pele do sujeito um leve tremor sob o raio de luz, como se a zona de sofrimento do corpo fosse estimulada ou acalmada pelo fenômeno da cor. 

Doze cores, cada uma correspondendo a diferentes partes da anatomia, estão incluídas no componente terapêutico. As cores são direcionadas para os pontos ativos, bem como durante uma sessão de acupuntura, enquanto as agulhas são substituídas por um raio de cor. 

Trata-se de aumentar o ponto de energia e recuperá-lo com a propriedade específica de cada cor.

O objetivo é sugerir ao corpo que encontre suas próprias defesas, seus próprios métodos de autocura. Uma atitude positiva e total fé no processo de cura é, portanto, o maior aliado do sujeito que sofre.

O terapeuta é na verdade apenas um intermediário ou melhor, uma ponte entre o elemento natural que desperta o corpo para seus próprios recursos de cura e o próprio corpo.

 

"A cromoterapia pode melhorar as coisas em todas as áreas porque o terapeuta usa os recursos dos pacientes. Quando um paciente apresenta por exemplo, um problema de depressão ou fadiga, será usado cores que o regenerará. O cromoterapeuta não cura o problema, cuida da pessoa como um todo."


Usar a Terapia Independentemente


Se você escolher a cromoterapia, precisará concordar com a importância de seguir o tratamento regularmente. Mas você também pode evitar a escolha clínica e seguir a terapia autonomamente, com referências bibliográficas adequadas e boa vontade.

Com uma lâmpada de halogênio e filtros de cores, você pode fazer a cromoterapia sem a intervenção de um terapeuta dedicado. Como esse tipo de terapia não requer manipulações complexas em certas partes do corpo, é completamente seguro. Um simples conhecimento das virtudes de cada cor é suficiente para você aplicar os preceitos terapêuticos ao seu problema.

Você pode acessá-lo sem medo e compartilhá-lo com outros membros da sua família.

"Uma consulta de Cromoterapia é um momento único, porque você é único!"

Acompanhe matérias exclusivas:

  • telegram icone
  • whatsapp_aherbalista
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • YouTube
  • messenger icone
  • Instagram

 - International Knowledge of Food, Herbs & Health -

CNPJ: 35.221.166/0001-12  -  BRASIL